20180517 LucianaAbdur DiaInternacionalCombateHomofobiaTransfobia abre
Fotos: Luciana Abdur
Visando prevenir e combater o preconceito à população LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), a Secretaria Municipal de Cidadania, Trabalho e Empreendedorismo (SMCTE) trouxe para a Câmara de Vereadores de Esteio uma palestra, nesta quinta-feira (17), para marcar a passagem do Dia Internacional do Combate à Homofobia e Transfobia. Alunos dos oitavos e nonos anos dos centros municipais de Educação Básica (CMEB) Érico Veríssimo, Maria Lygia, Oswaldo Aranha, Eva Karnal e Vila Olímpica assistiram a apresentação.

De acordo com a titular da SMCTE, Tatiana Tanara, o assunto da palestra deve ser discutido para que as pessoas possam entender e acabar com a discriminação. “Cada um é aquilo que quiser ser. Acredito que é na escola que começamos a trabalhar este assunto, não é uma pauta de aula, mas sim pauta de todos os dias. Atualmente passamos por um momento em que as pessoas vivem incitando ódio contra gays, insistindo que todos devem ter rótulos. Nós, da secretaria, procuramos trazer uma missão de paz e unir esforços, pois são pessoas, cada uma com sua escolha, sua opção e com direito a sua liberdade”, disse.

Para o palestrante, o psicólogo Jean Ícaro Pujol Vezzosi, o objetivo da apresentação é poder oferecer uma visão do preconceito da maneira como ele aparece nos diferentes espaços, nas escolas e nos locais de trabalho. “Podemos não só reconhecer, mas criar ferramentas estratégicas para aumentar o respeito à diversidade sexual de gênero. Essa é uma população muito vulnerável sujeita a desfechos negativos, tanto em termos de violência como em termos de saúde mental. Dar uma atenção a essa população é extremamente importante”. Jean Ícaro falou, ainda, que qualquer iniciativa que propõe-se a discutir o assunto e mostrar o efeito do preconceito já possui seu valor por si só, pois demonstra sensibilidade, empatia, e um reconhecimento de que esse grupo precisa de determinados cuidados.

A coordenadora municipal dos Direitos Humanos, Maria Izabel Teixeira, responsável por promover a palestra, relembrou a importância da data. “Marca a decisão que a Organização Mundial de Saúde tomou, em 17 de maio de 1990, de retirar o termo homossexualidade da classificação internacional de doenças. Esta data visa conscientizar a população em geral sobre a luta contra a discriminação dos homossexuais, transexuais e transgêneros. A homofobia consiste no ódio e repulsa por homossexuais, atitude que deve ser combatida para que possamos formar uma sociedade que esteja baseada na tolerância e respeito ao próximo, independente da sua orientação sexual”, comentou.

Participaram do evento, ainda, o secretário municipal de Saúde, Gerson Cutruneo; o presidente da Câmara Municipal, Sandro Severo, com a vereadora Rute Pereira; e o presidente da ONG Amigos da Diversidade, Jauri Machado.


Texto: Luciana Abdur

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1